terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Fim do calendário... Renove-se



Muito Obrigada! Pelo carinho de todos os leitores deste blog.
Grata também pelas belas palavras nos comentários.
Namastê...
O ano está acabando e tudo irá recomeçar novamente vamos brindar a vida!! Que venha 2010 =)
O novo é sempre novo. Traz em si a alegrias das surpresas ( e do ainda não conhecido).
O novo é também o antigo renovado. Reformulado com o que se viveu antes.
O novo é esperança e, ao mesmo tempo, certeza. Tem o charme do mistério, mas pode ser também incrivelmente simples!
O novo pode ser o início de tudo, ou apenas o recomeço.
Renove sua maneira de enxergar o mundo ao seu redor.
A vida é feita dos pequenos grandes gestos: um sorriso, um abraço, uma demonstração de carinho, um saber viver, respeitar e conviver.
Autor Desconhecido*

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Shhh...

Para um dia especial uma postagem um Anjo que admiro... mesmo sem "conhecer" pessoalmente, apenas sentindo sua energia.



Abro vagarosamente os olhos acinzentados, frios
Extremamente sedado, entorpecido
Com dificuldade, consigo me sentar
Gotas de sangue pingam de minhas asas
Tao padecidas, tao machucadas

Sim, embora parecesse
Eu nao estava tao adormecido
Nao ouvia direito sua voz
Nao distinguia direito as cores
Tudo ainda esta meio embacado
Mas sei que voce veio ate mim
Mal podia me mover, mal podia gritar
Para que alguem pudesse ouvir
Mas sua presenca em minha alma
Eu pude sentir

Como voce consegue respirar, viver
Como consegue me olhar
Mesmo sabendo o quanto tenho sofrido?
Vulneravel, dopado
Voce trouxe de volta o mesmo pesadelo
E nao se mostra nem um pouco afetado
Nem um pouco arrependido
Eu sempre tento fugir
Mas meus pes nunca saem do lugar
Quisera eu que essas asas tivessem
A capacidade de voar

Um anjo caido, de repente
Cujo voo foi brutalmente roubado
Nao posso acreditar
Agora que eu tentava renascer
Voce me matou novamente!
Agora que eu recolhia os cacos
E procurava sobreviver
Mais uma vez meu olhar foi apagado
Quero voar
Sim, eu quero voar
Voar com minhas asas rasgadas
E ensanguentadas
Estar bem distante, no periodo da noite
Onde nao ha um lugar seguro para estar
Aqueles que estao sedados
E nao possuem condicoes de se defender
De realmente poder voar
Eu so queria
Ser um pouco respeitado, nao mais sofrer

Vou abrir minhas asas negras
Nao permitirei mais
Que me facam adormecer
Fiquem bem
Boa noite
Vou com os anjos...

E voce?
LuKas Nietze
l


Quem é Lukas Nietzel?
Posso não o conhecer pessoalmente, mas sinto a energia contagiante que o acompanha. As palavras e sentimentos traduzidos em seus textos. Seu coração é puro e sua alma nobre. Mesmo que carregue certas vezes angustia em seu peito, o seu sorriso pode iluminar o dia.
Sucesso garoto tudo de bom.
Conheça mais sobre Lukas acesse: A Cela de um Anjo Caído
Keli Wolinger

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Pedido especial


Amanhã participação especial do Anjo LUKAS do Blog A Cela de um Anjo Caído ansiosa.
Com uma brasileira típica deixei tudo para última hora, inclusive meu pedido de Natal ao bom velhinho. Final de ano é época de pensar refletir e por que não sonhar? Acreditar que tudo pode ser melhor, assim como fazíamos quando crianças.
Desejo a todos um sorriso para cada lágrima derramada;
Um abraço para cada momento de angustia;
Um beijo para espantar o tédio;
Um amigo para amenizar a solidão;
Um travesseiro para encontrar a paz;
Uma vida para matar a fome de viver.
Boas Festas !!
Que tal encarar a vida com humor?
Querido Papai Noel,
Eu não me comportei muito bem este ano, porém não fui tão má e mereço uma segunda chance. Eu falei palavrão, não compreendi quando devia e também não fui compreendida.
Mas perdoei aqueles que me magoaram, ganhei novos amigos e os fiz sorrir quando estavam tristes. Por isso, eu peço que me traga de presente muitas caixas de paciência embaladas com tolerância.
Ajude-me a conseguir outros adjetivos que não seja FDP, e que eu não tenha vontade de mandar para PQP, ao falar mal daqueles que buzinam atrás do meu carro enquanto dirijo pela cidade abarrotada de pessoas, automóveis e bicicletas.
Ajude-me a cada mês enfrentar a TPM sem ter que comer uma caixa de chocolate e depois passar uma semana comendo alface.
Obrigada por ajudar que as celulites que aparecem no meu bumbum ser exatamente aquelas que não cabem mais no bumbum das minhas inimigas hihih....
Que eu não tenha vontade de mandar meu professor(a) tomar naquele lugar onde o sol não bate , bem lá no orifício rugoso do ínfero lombar quando ele falar a velha frase: “o que vocês fazem da meia noite às seis da manhã”?
Que eu não caia na gargalhada cada vez que meu chefe aparecer de camisa laranja florescente, calça xadrez, sapato de verniz e disser que ele mudou o visual depois que o psicólogo falou que ele precisava usar a color terapia no cotidiano para aliviar o stress.
Que eu não tenha vontade de chamar de todos os sinônimos de fezes aqueles que rirem quando eu falo que serei jornalista, por sarcasmo ou ainda dizem - mais ganha pouco não?! Porque você não fez medicina ou direito?
Que eu não espere de todas as pessoas aquilo que exijo de mim mesma; Que eu tenha serenidade para entender que todos somos seres humanos, e  desta forma, imperfeitos.
Que meu trabalho ajude as pessoas entenderem que a culpa do mundo ter se tornado o que é hoje, não foi descaso de Deus, dos governantes, ou de qualquer força sobrenatural foi ‘falha nossa’ mesmo.
E que eu consiga transformar para melhor a vida das pessoas, se não conseguir que eu não perca a força de tentar.
Não é pedir demais é?
Com carinho desta estimada jovem com alma de criança,

Keli Wolinger

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Descomplique


O despertador não tocou. E abri os olhos quando meu corpo o fez simplesmente pelo fato
de que entendeu que minhas energias foram repostas.
Um sorriso ascendeu em meu rosto quando raios de sol iluminavam as paredes do
quarto por entre as cortinas. O astro solar reinava absoluto no céu e observei o movimento frenético de ir e vir das pessoas, percebi como as coisas mais belas da vida são simples.
Dormir até a hora que seu corpo decidir ‘acordar’;
Observar o astro rei fazer seu show matinal;
Passar um tempo longe de celulares, chefes, faculdade e tudo aquilo que possa te afastar das pessoas que ama;
Andar descalços;
Ouvir o som do mar e sentir a fúria das ondas beijando a areia;
Sentir o vento bater nos cabelos;
O cheiro de poeira molhada pela chuva;
O sorriso de uma criança;
Não precisar se preocupar com o tempo, esse amigo fiel que nos acompanha e também nos limita;
Aproveitar a vida pelo simples fato de existir parece fácil, mas não é...
Keli Wolinger

sábado, 19 de dezembro de 2009

Tomara...



“Esta geração é virgem de Vínicius de Moraes”, não me recordo o autor da frase, mas realmente é verdade. Não sou lá muito velha hihihi...., porém não tão nova assim já sou um carro 2.3.brincadeiras à parte falta um pouco de amor e loucura em tudo.
Falta-nos poetas, malucos e lúcidos;
Falta-nos músicos, amantes e amados;
Falta-nos algo que ainda não sei o nome....
Keli Wolinger

Para recordar as belas e sábias palavras do grande mestre Vinícius:

Tomara
Que você volte depressa
Que você não se despeça
Nunca mais do meu carinho
E chore, se arrependa
E pense muito
Que é melhor se sofrer junto
Que viver feliz sozinho

Tomara

Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz

E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais...

sábado, 12 de dezembro de 2009

O Peso da Alma – Melhor Amigo



Seria um dia como qualquer outro na faculdade, eles se encontraram como de costume no corredor cumprimentaram-se, mas ele notou que sua amiga estava diferente, ou como propriamente ele diria sua energia não era a mesma.

- Vamos até a lanchonete? Preciso conversar um pouco pode ser? – Ela o convidou.

- Ok garota – Resposta simples e direta, assim é Denis seu melhor amigo.

Seguiram em direção à lanchonete, ele não perguntou nada pelo que conhecia de Natasha sabia que quando fosse a hora certa ela falaria.

Sentaram – se e permaneceram um longo tempo em silêncio, Denis mantinha os olhos em Natasha ela parecia olhar a esmo. Ele percebeu quando uma lágrima começou a rolar pelo seu rosto, seu queixo endurecer e prensar os dentes ao exclamar:

-Eu não agüento mais, não vou suportar por mais tempo ....

Ele arqueou a sobrancelha, a olhou por cima das lentes dos óculos com um ar questionador, como que procurando por arquivos em sua mente quando foi que viu a sua melhor amiga chorar. A considerava forte, obstinada e jamais iria derramar lágrimas na frente de quem quer que seja isso demonstraria fraqueza. Permanecia com os dedos pressionando as têmporas, e olhando para ela ainda não entendia, porém não perguntou.

Natasha fixou os olhos marejados em Denis e falou:

- Me perdoe, mas preciso disso, preciso chorar eu não posso mais....

O abraçou deitou em seu ombro procurando simplesmente um abrigo, como uma criança que acaba de acordar de um pesadelo e ainda sente medo chorou de forma incessante, sentia vontade de gritar, mas não o fez seu choro era um grunhido da alma, um animal mortalmente ferido.
Denis afagava seus cabelos carinhosamente como forma de acalmá-la. Ela se recompôs secou as lágrimas uma leve sensação de conforto parecia começar ele beijou sua testa em sinal de respeito, como irmãos dizendo: - “vai ficar tudo bem”.

- Ele vai me deixar. Eu sei tem outra garota, ele me traiu... acabou.

As palavras saíram da boca dela como uma flecha certeira em direção a Denis, ele não falou nada, mas sua expressão de incredulidade perante ao que a amiga dizia falavam por si só.

- Eu não contei a ninguém guardei isso pelo tempo que eu achei que aguentaria, mas não dá mais.... isso é uma tortura, preciso confiar em alguém e não há outra pessoa que não você para que eu possa demonstrar meus temores, angústias, medos e confessar meus segredos.

Denis se recostou na cadeira, pôs os braços sobre a mesa, entrelaçou os dedos e lançou aquele olhar acima das lentes que ela sabia o que significava, o conhecia o suficiente para saber que ele entendeu tudo o que ela falou em breves palavras.

Ele distinguia aquele sentimento, afinal sua amiga também já foi sua confidente, ambos tinham uma relação de amor, não um amor de desejo carnal, mas fraterno. Tinham afinidades, equilíbrio eram irmãos.

Podiam ficar horas em silêncio apenas olhando um para o outro que saberiam exatamente o que estavam sentindo e quando se levantassem teriam a sensação de ter a melhor conversa do mundo. Amigos verdadeiros ao ponto de um ligar para o outro e perguntar: -- Você está bem? E do outro lado da linha ouvir apenas um soluço de uma voz afogada pelo choro :- Não... e em resposta estou indo te encontrar.

Ele ouviu cada palavra processou mentalmente em silêncio e não a questionou agora ele teria uma resposta, Natasha tinha medo do ele diria.

To be continued...


Keli Wolinger

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Não me peça....



Não me peça para voltar.
Não posso voltar para você, pois nunca te deixei.
Meus pensamentos sempre foram seus e os sonhos somente nossos.
Não me peça somente um abraço, quando o que mais quero é cair em seus braços.
Como pode pedir que eu não vá embora sem ao menos saber que eu também não consigo ir.
Não derrame lágrimas pedindo meu amor, não se pode pedir o que já possui.
Não me peça perdão ele não faria sentido diante do que sinto.
Nunca fomos nós, sempre fomos um.

Keli Wolinger

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Sua real grandeza

O Convidado de hoje é Alan do blog Antenado Pop ele escreveu um pequeno "Conto de Fadas"às avessas moderno. Cômico se não fosse a realidade trágica rssss....
O texto é de uma ironia do destino para muitos. Abraços


Ela era linda. Absolutamente nada a abalava. Havia acabado de completar 20 anos. Todos a amavam, a adoravam, todos a bajulavam.
Estava namorando com Tiago, há 3 anos, iam se casar daqui há 2 meses. Era um casal feliz e bonito. Tiago, trabalhava em um açouque ganhava pouco, já ela trabalhava num supermercado, também não ganhava grande coisa. A família dela era absolutamente a favor deste casamento.
Chegou no dia do casamento. Ela estava nervosa, um pouco fora do normal. Ela estava anormal. Subiu ao altar, na hora mais esperada do ' Sim '. Ela falou ' Não ', ninguém entendeu e ficou abismado, principalmente o noivo, que não acreditou em sua resposta. Ela olhou para o lado, um homem se levantou. Ela se virou para o noivo, e falou :
" - Você é lindo. Mais eu não sou mulher para você, ou melhor dizendo você não é homem para mim eu nasci para ser rica, eu nasci para ser glamurosa, não para passar o resto de minha vida, comendo o pão que o diabo amassou."
Saiu do altar, e foi ao encontro do homem, que estava em pé na cerimônia. Este homem era seu chefe, um homem rico, e de meia idade. Ela saiu da igreja sem olhar para trás. O noivo ficou sem reação, assim como toda a igreja. Sua mãe caiu em prantos.
CONLUSÃO :
Ela, se casara com o homem rico que tanto sonhava, e durante 2 anos, viveu como uma princesa, até vir a separação, por aquele homem a trair. Ela ficou sem nada, pois a não havia se casado em comunhão de bens. Os 2 filhos que teve com esse homem, ficaram com ele. Ela nunca mais os viu. Ela ficou na rua da amargura, pegou AIDS e morreu.
Seus filhos desconhecem sua existência.
Lembra do Tiago ?
Ele se recuperou do ' baque ' e se casou de novo. Abriu um açougue só dele, que rapidamente se expandiu, ou seja enriqueceu. Teve 2 filhos e vive feliz com sua esposa.
Não sei bem ao certo porque contei esta história. Só sei que assim como esta mulher existem várias, tome cuidado, com a sua ambição... Ela pode te matar.
Alan Willian Lima


Quem é Alan Lima?
Amigo da blogosfera o garoto dos textos animados.
Seu blog Antenado Pop sempre traz novidades do mundo do entretenimento.
Ligado nas últimas tendências da Web Alan, tem um texto leve e bem humorado. Sucesso em sua jornada garoto ^^.
Conheça mais sobre Alan: Antenado Pop
Keli Wolinger

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

"Este sexo é feminino"

Meus queridos leitores, peço perdão pela ausência de posts, mas estou em uma jornada tripla. Final de semestre na faculdade, dois empregos :D (Graças ao meu Bom Deus), namorado , família tudo ao mesmo tempo como sou filha de Deus minha folguinha de domingo fui aproveitar um pouco minha vida rsss, não gosto de ficar longe do carinho de vocês então creio que tudo se ajuste até o final da semana.
Feminista assumida, compartilho com as mulheres maravilhosas da blogosfera um texto ótimo de Patrícia Travassos, e para os homens uma reflexão.
Beijos no coração até amanhã se assim o tempo me permitir.....

Keli Wolinger

"Este sexo é feminino" de Patricia Travassos*
Belinha acordou às seis, arrumou as crianças, levou-as para o colégio e voltou para casa a tempo de dar um beijo burocrático em Artur, o marido, e de trocarem cheques, afazeres e reclamações.
Fez um supermercado rápido, brigou com a empregada que manchou seu vestido de seda, saiu como sempre apressada, levou uma multa por estar dirigindo com o celular no ouvido e uma advertência por estacionar em lugar proibido, enquanto ia, por um minuto, ao caixa automático tirar dinheiro.
No caminho do trabalho batucava ansiedade no volante, num congestionamento monstro, e pensava quando teria tempo de fazer a unha e pintar o cabelo antes que se transformasse numa mulher grisalha.
Chegando ao escritório, foi quase atropelada por uma gata escultural que, segundo soube, era a nova contratada da empresa para o cargo que ela, Belinha, fez de tudo para pegar, mas que, apesar do currículo excelente e de seus anos de experiência e dedicação, não conseguiu.

Pensou se abdômen definido contaria ponto, mas logo esqueceu a gata, porque no meio de uma reunião ligaram do colégio de Clarinha, sua filha mais nova, dizendo que ela estava com dor de ouvido e febre.
Tentou em vão achar o marido e, como não conseguiu, resolveu ela mesma ir até o colégio, depois do encontro com o novo cliente, que se revelou um chato, neurótico, desconfiado e com quem teria que lidar nos próximos meses.
Saiu esbaforida e encontrou seu carro com pneu furado.
Pensou em tudo que ainda ia ter que fazer antes de fechar os olhos e sonhar com um mundo melhor.
Abandonou a droga do carro avariado, pegou um táxi e as crianças.
Quando chegou em casa, descobriu que tinha deixado a porra da pasta com o relatório que precisava ler para o dia seguinte no escritório!
Telefonou para o celular do marido com a esperança que ele pudesse pegar os malditos papéis na empresa, mas a bosta continuava fora de área.Conseguiu, depois de vários telefonemas, que um motoboy lhe trouxesse a porra dos documentos.
Tomou uma merda de banho, deu a droga do jantar para as crianças, fez a porcaria dos deveres com os dispersos e botou os monstros para dormir.
Artur chegou puto de uma reunião em São Paulo, reclamando de tudo.
Jantaram em silêncio.
Na cama ela leu metade do relatório e começou a cabecear de sono. Artur a acordou com tesão, a fim de jogo. Como aqueles momentos estavam cada vez mais raros no casamento deles, ela resolveu fazer um último esforço de reportagem e transar.

Deram uma meio rápida, meio mais ou menos, e, quando estava quase pegando no sono de novo, sentiu uma apalpadinha no seu traseiro com o seguinte comentário:
- Tá ficando com a bundinha mole, Belinha... deixa de preguiça e começa a se cuidar...


Belinha olhou para o abajur de metal e se imaginou martelando a cabeça de Artur até ver seus miolos espalhados pelo travesseiro!

Depois se viu pulando sobre o tórax dele até quebrar todas as costelas! Com um alicate de unha arrancou um a um todos os seus dentes depois deu-lhe um chute tão brutal no saco, que voou espermatozóide para todos os lados!
Em seguida usou a técnica que aprendeu num livro de auto-ajuda: como controlar as emoções negativas.
Respirou três vezes profundamente, mentalizando a cor azul, e ponderou. Não ia valer a pena, não estamos nos EUA, não conseguiria uma advogada feminista caríssima que fizesse sua defesa alegando que assassinou o marido cega de tensão pré-menstrual...
Resolveu agir com sabedoria.No dia seguinte, não levou as crianças ao colégio, não fez um supermercado rápido, nem brigou com a empregada. Foi para uma academia e malhou duas horas.
De lá foi para o cabeleireiro pintar os cabelos de acaju e as unhas de vermelho. Ligou para o cliente novo insuportável e disse tudo que achava dele, da mulher dele e do projeto dele.
E aguardou os resultados da sua péssima conduta, fazendo uma massagem estética que jura eliminar, em dez sessões, a gordura localizada.
Enquanto se hospedava num spa, ouviu o marido desesperado tentar localiza-lá pelo celular e descobrir por que ela havia sumido. Pacientemente não atendeu.
E, como vingança é um prato que se come frio, mandou um recado lacônico para a caixa postal dele.
- A bunda ainda está mole. Só volto quando estiver dura.
Um beijo da preguiçosa...


sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Será o Fim?



Dei-me conta de que o ano está chegando ao fim essa semana, por volta de ontem, anteontem quando vi a propaganda de um mercado famoso mostrando papai Noel, falando de Natal e essas coisas que roubam o tempo do consumo.

É claro que ainda estamos e vivemos novembro, é claro que isso pode influenciar muito na questão fim de ano, muita gente começa com aquele balanço, pô pouco mudou, acaba-se mais uma jornada e no fim dela vemos que nada melhorou, pode ter até piorado com qualquer coisa, mas não é preciso dizer que tudo ficou 100% porque ganhamos na loteria ou ficamos milionários da noite pro dia(ou de janeiro pra setembro).

A questão é outra, é mais de auto-estima e vivência, é como se no começo da viagem fosse preciso construir um prédio forte, duradouro, firme, e nessa altura do campeonato ele ainda não estivesse no topo alto, falta algo, e não é cimento, cal ou areia, falta algo a mais, e esse algo a mais pode ser buscado se for planejado.

Nem tudo está acabado, ainda há chance. Pois bem, vamos lá!
Marcelo Cândido
Quem é Marcelo Cândido?

Amigo da blogosfera ele e suas Palavrinhas para refletir.
Com humor leve, textos agradáveis e de fácil compreensão que transmitem energia positiva.
Parabéns Marcelo pelas suas conquistas e obrigada por aceitar o convite.
Conheça mais sobre Marcelo Cândido e suas PALAVRINHAS!!
Keli Wolinger


Selinho Meme *_* Participação Especial


Ganhei esse selo Meme da Liciane do blog Acorda Menina! Adooro.
E repasso a regra é a mesma postar o selo, indicar de quem ganhou, responder as perguntas e indicar 5 blogs.
HOJE PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DO MARCELO CÂNDIDO DO BLOG PALAVRINHAS!!!
MAIS TARDE NO ANACRÔNICA - AGUARDEM!!

1- Qual a cor do seu cabelo? (que vc usa) Preto
2- Liso, crespo, ou ondulado? Liso
3- A cor dos seus olhos? Castanho escuro

4- A sua altura? 1,60
5- Peso? 55 kg
6- Já foi gorda(o)? Sim, prefiro não lembrar rssrss.
7- Que cores vc mais gosta de vestir? Preto, Rosa :D.
8- Vc prefere roupa justa ou larga? jeans ou moleton? Depende da ocasião , mas amo jeans
9- Para as mulheres, salto alto ou baixo? Salto Alto - sempre para compensar minha altura ahahah10- Para os homens, tênis ou sapato? - Os dois O.o11- Que gênero de filme vc prefere? Terror e suspense *-*12- Gosta mais de musicas lentas ou agitadas? Agitadas
13- Vc toca algum instrumento? - Não
14- Vc tem irmãos? 02 irmãos por parte de pai amo- os muito.
15- Diga um prato saboroso que vc sabe fazer. Lasanha de camarão.
16- Vc gosta mais de doce ou salgado? Salgado
17- Vc gosta de dançar? Sim18- Sente saudade de quê/quem? Saudades dos meus amigos que moram em outra cidade e falta do meu avô.
19- Chocolate branco ou preto? Serve os dois =P.
20- Inverno ou verão? Verão.
21- Vc prefere solidão ou multidão? Depende do meu estado de espiríto.
22- Sorvete ou pipoca? Ixxi ...os dois, mas fico com sorvete.
23- Refrigerante ou suco? Que sabor? - Coca Cola
24- Filme em casa ou no cinema? Em casa com uma companhia especial e cinema com os amigos.
25- Vc chora com facilidade? Quase sempre por besteiras como filmes e coisas que importam não haha estranho mas é assim.26- Qual foi o primeiro blogueiro que começou freqüentar seu blog? Diogo do Blog DiogoNinguem
27- Vc conhece pessoalmente alguém da blogosfera? Quem? Sim, o Diogo meu melhor amigo, a Thaza, o Júlio entre outros, estudam comigo todos somos loucos e aprendizes de jornalista :P.
28- Quais blogueiros moram na mesma cidade ou próximo a vc? o Diogo, aThaza, a Marília
29- Se vc ganhasse na mega, diga 10 coisas que vc faria/compraria??? Prefiro não comentar... porque não consigo nem imaginar ;)


Os Indicados São.....
A Cela de Um Anjo Caído simplesmente lindos os textos desse blog emocionante eu diria
Diogo Campos - Diogo Ninguém (Hahah te indiquei por último garoto ^^ para ver se você conta coisa que não me contou kkkkk.. amigo-lhe)
Os selinhos vão chegando heheh perdoe- me aqueles que esqueci é problema de DNA (Data de Nascimento Antiga =P)

Keli Wolinger

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Se amanhã não existisse...

O que você faria se descobrisse que morreria amanhã?

Sairia correndo desesperado ou viveria intensamente suas últimas horas?

Uma reflexão que dificilmente fazemos, mas na real, não se sabe o que está por vir,
quem iremos conhecer, ou o que vamos viver.

Passamos dias imaginando aquela festa, a prova, o que faremos quando sairmos com aquela pessoa especial. Não é o fato que literalmente é bom - é essa espera de não saber exatamente o que irá acontecer.

Quando alguém nos magoa o tempo que decorremos remoendo essa dor não volta mais, é algo que jogamos no lixo, um rascunho que não passamos a limpo.

Por mais que essas pessoas nos peçam desculpas e nós “cordialmente” aceitamos ou não, aquele restinho da dor fica lá em algum canto e quando lembrada ainda machuca.

Mas o que vale é “viver tudo que há pra viver, vamos nos permitir” esse é o verdadeiro sentido de ser.

Hoje fui surpreendida recebi algo totalmente inesperado, ou sei lá difícil traduzir ... é que foi algo de alguém que eu diria que jamais demonstra seus sentimentos e me deixou muito feliz.

A cada dia escrevemos uma linha do capítulo de um livro que se chama vida e o autor é o imprevisível tempo.

Keli Wolinger.

Vou compartilhar com vocês o texto que tanto me surpreendeu:
Ainda lembro das palavras doces que você dizia
ao pé do meu ouvido...
Lembro do sorriso que você abria quando me via,
das explicações que você dava quando não conseguia telefonar...
Ainda lembro das risadas que dávamos juntos,
das juras que fazíamos...
Ainda lembro do jeito que você me olhava, dos sonhos que eu tinha com você,
do amor que eu tinha pra lhe oferecer...
Ainda sinto seu perfume, ainda sinto o calor de sua pele, ainda sinto sua presença...
Ainda lembro da nossa canção.
Ainda lembro das vezes que você me olhava e dizia o medo que sentia de me perder...
Ainda lembro de quanta dedicação que eu tinha em lhe ver sorrir.
Ainda lembro das cartas apixonadas, que me faziam ficar até tarde acordado...
Lembro das noites em claro que passei,pensando em você.
Hoje percebo que te amo muito mais do que antes.
* A autora real é Fabiana Thaís Oliveira.
O texto sofreu algumas alterações feitas pela pessoa que me dedicou, meu namorado Ricardo Cabral - que o tempo passe e "traga a certeza de que nada foi em vão".

Keli Wolinger
PS: Não havia publicado o nome porque achei que ele não iria gostar, mas hoje ele me perguntou o porque não disse que foi ele, então está aí :D bjos.


sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Eles e as dúvidas


São tantas as dúvidas que nos perseguem. Começam cedo na hora de escolher a roupa para vestir e terminam na dúvida de dormir ou ainda ler mais um capitulo daquele livro.

São necessárias, é inegável. Mas não deveriam ser tantas. Oh céus! Como são cruéis! Não saber o que fazer, nem como agir, pensar, dizer...

E as dúvidas são mais traiçoeiras quando se tem um ele e você é ela. Seria mais fácil se fosse diferente! Exclamamos isso diariamente em várias situações. Mas o que é o diferente?

Nesse caso, sair do clichê é ele gostar dela como ela gosta dele. Às vezes ela lembra que as pessoas gostam de diferentes formas, e que o pouco para ela é muito para ele, mas mesmo assim não entende.

As diferenças entre eles são visíveis e incompreensíveis, ele não entende o que ela escreve, tem aversão à internet, gosta de música e se acha o tal. Ela escreve bastante, passa os dias on-line e prefere televisão.

Ainda não eram especiais um para o outro, os sentimentos estavam confusos, a falta da presença era constante, mas não tinham a força necessária para mais uma vez.

Nada repõe as noites não dormidas, as horas em frente ao computador esperando uma resposta, as tardes de domingo que pedem um colo. Ela já tinha desistido de ficar pensando nele ou ao menos ela tinha pedido insistentemente para seu cérebro parar de fazer isso. O que você sabe muito bem, não aconteceu!

Talvez eles não se entendam bem. Talvez não haja um “nós” entre eles. E quem sabe ainda, não tenha outra vez. Mesmo assim ela espera ele... cheia de dúvidas.

Marília Seleme
Quem é Marília Seleme?

Entusiasta romântica, sonhadora e muitas vezes indecisa. Já pensou em mudar o mundo, mas desistiu porque não pode compreender as pessoas. Atualmente cursa jornalismo e possui um blog que compartilha suas aventuras pessoais.
Conheça mais sobre Marília Seleme: http://reflexoseu.wordpress.com/
Keli Wolinger


quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Decisão

"Sinto a fúria de suas palavras, mas não entendo nada do que elas dizem." (Willian Shakespeare)




Os dados foram lançados assim como sua sorte.

Ela estava deitada sobre o peito dele ouvindo sua respiração enquanto ele dormia.
Seus pensamentos estavam confusos, não acompanhavam o ritmo lento e compassado da respiração do homem deitado na sua cama, o mesmo homem que ela jurou amor eterno há alguns anos.

Não que ela não o amasse mais, apenas não como antes.
Antes de ele partir e deixá-la sozinha com sua dor.
Tudo havia passado tão rápido – pensou ela, a volta dele à sua porta, os pedidos de perdão, as noites de amor.

Mas ela já havia se decidido a respeito do que estava prestes a fazer.
Levantou-se, jogou suas poucas roupas na primeira mala que viu pela frente, vestiu o jeans
surrado, a blusa básica, calçou seu tênis preferido, amarrou os cabelos e ao olhar- se no espelho percebeu que não reconheceu a si própria.

Há um ano jamais seria capaz de fazer o que estava planejando, sorriu, mas não com os lábios sorriu com a alma.

Pegou um pedaço de papel e rabiscou algumas linhas, deixou ao lado do travesseiro, deu-lhe um beijo levemente nos lábios e o deixou.

Ao acordar ele notou que ela não estava ao seu lado, percebeu o pequeno pedaço de papel -
ao ler seu rosto ficou atônito:

“Sei que parece absurdo depois de tudo, mas tenho que deixá-lo, não porque eu não te amo e sim, porque o que sinto em ralação a você é infinitamente maior do que eu mesma. Meu amor é seu, porém eu me chamo liberdade.”

Keli Wolinger

PS: Parabéns pára meu colega da blogosfera Marcelo Cândido do Blog Palavrinas ( http://palavrinhasmarcelo.blogspot.com/) que está participando de uma Antologia, o Projeto Literário Delicatta, que está em sua quarta edição,dia 20 será a premiação no Espaço Itaú Cultural na Av.Paulista. 149.
Sucesso para você Marcelo!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A Insustentável leveza de ser


O que eu sei até então em relação ao vazio que sinto
é que ele vem de consequências múltiplas do meu ser.

Do amor que corre em minhas veias e da ira que o acompanhou.

Dos devaneios profundos às grandes desilusões, nessa linha
tênue entre a razão e a lucidez deixo minha história nas linhas do tempo.

Aquilo que eu procuro, mas não sei o nome e que espero sem saber por que.

Apenas na inconstância de viver isso que chamo de amor.

Keli Wolinger

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Os quatro melhores anos...


Bem, quando Keli me comunicou que eu iria escrever para este espaço na sexta feira 13, confesso que tremi as bases... por dois motivos: A data já é sinistra; e, Sobre o que escrever? Bem, pensei, pensei, pensei e decidi escrever sobre um tema que mais no final do ano irei postar no Tô Ligado! : Os quatro anos de faculdade! Nossa, muita gente já havia me dito que estes seriam os quatro melhores anos da minha vida, e eu, como a maioria imaginava ser apenas mais um clichê básico. Mas acreditem, não é!
Tive o privilégio de conhecer pessoas que certamente irão fazer fazer parte da minha vida por muito tempo... e algumas, para sempre. Estudei, malandrei, me diverti... Passei inúmeros apertos, rodei noites em claro, dormi na sala de aula. Beijei, namorei, briguei, odiei... Enfim, fiz de tudo um pouco.

E só agora, a ficha caiu! É realmente muito triste imaginar que todas as intrigas, decontrações e noites em claro, irão... Mas para mim, que aproveitei ao máximo cada minuto e que trilhei um bom caminho - digo isto em relção ao bom relacionamente com os professores e coordenação (para quem não me conhece, a modéstia não é o meu forte, rsrsrsrsr), vai ficar apenas a certeza que estes realmente foram os melhores anos da minha vida.

Sei que muitos outros virão... Viagens, namoros, carreira e num futuro, casamento, filhos, netos... tudo em decorrência destes quatro melhores anos!

Brunno Luiz
Quem é Brunno Luiz?
Tá Ligado! Um garoto que não é baiano mais é "arretado", meu amigo da blogosfera sempre tem uma opinião das porreta sobre qualquer assunto.
Muito alegre, espírito irreverente e mesmo não conhecendo ele pessoalmente se percebe que ele trás consigo um sorriso para cada dia. Brunno sucesso na sua jornada!
Para conhecer mais sobre o Brunno Luiz acesse: http://www.toligado1.blogspot.com/
Keli Wolinger

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Para celebrar o envelhecer



A vida não é justa, mas ainda é boa.

Quando estiver em dúvida apenas dê o próximo pequeno passo.

A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.

Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato
Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.

Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para discordar.

Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.

Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele agüenta.

Poupe para a aposentadoria, começando com seu primeiro salário.

Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.

Sele a paz com seu passado, para que ele não estrague seu presente.

Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.

Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que se trata a jornada deles.

Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.

Tudo pode mudar num piscar de olhos, mas não se preocupe Deus nunca pisca.

Respire bem fundo. Isso acalma a mente.

Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.

O que não te mata, realmente te torna mais forte.

Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.

Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite "não" como resposta.

Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.

Se prepare bastante; depois, se deixe levar pela maré.

Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.

O órgão sexual mais importante é o cérebro.

Ninguém é responsável pela sua felicidade, além de você.

Encare cada "chamado" desastre com essas palavras: Em cinco anos, vai importar?

Sempre escolha a vida.

Perdoe tudo de todos.

O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.

O tempo cura quase tudo. Dê tempo.

Independentemente de a situação ser boa ou ruim, irá mudar.

Não se leve tão a sério. Ninguém mais leva.

Acredite em milagres. Deus te ama por causa de quem Ele é, não pelo que você fez ou deixou de fazer.

Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela agora.

Envelhecer é melhor do que morrer jovem.

Seus filhos só têm uma infância.

Tudo o que realmente importa, no final, é que você amou.

Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares.
Se todos jogássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de volta.

Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.

O melhor está por vir.

Não importa como você se sinta, levante, se vista e apareça.

Produza.

A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente "
Regina Brett, 90 anos, Cleaveland - Ohio.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Ato Simples


Uma atitude fará viajar. Será capaz de fazer voltar ao passado, relembrar os bons e velhos tempos.
É tão simples, tão fácil e sem vergonha pode-se fazer isso em qualquer lugar.
Na beira da praia pra sentir o vento.
Para escutar uma música e senti-la pairar na alma.
Para se proteger e fugir das sensações amedrontadoras.
É possível, com um simples ato, esquecer por um minuto tudo aquilo que entristece. Por um minuto isso pode afugentar a raiva.
Pode-se fingir que adormece para evitar algum mal. Para evitar alguma conversa ou para aproveitar um pouco mais de tempo aquele colo agradável.
Simples, feche os olhos e veja o que pode acontecer.
Por um instante ou uma noite inteira cegou-se tudo o que está acontecendo em volta. Não importa o que passou naquele instante, os olhos estavam fechados.
Um simples ato, feche os olhos volte ao passado
Feche os olhos e idealize o futuro
Feche os olhos e engane o presente
Imagine o mundo, a vida, minta a realidade.
Divirta-se fingindo estar dormindo, é só fechar os olhos.
Esquecer do mundo, ouvir palavras belas e absorve-las direto na alma.
No maior problema que tiver é simples, qualquer um o faz, aquele ato que de tão simples transforma o complexo, mas lembre-se que na hora em que voltar o mundo ainda estará girando.
No entanto feche os olhos. Deixe a alma vagar, mesmo que não acredite, mas com os olhos fechados os mundo pode mudar.
Na sua mente, mas pode mudar.
Então, feche os olhos...

Thayse Gioppo

Quem é Thayse Gippo?
A Thaza é temperamental,convicta,entusiasta tem sempre uma resposta
criativa e conceitual sobre qualquer assunto.
Atenta a tudo que acontece ao seu redor quando sua sombrancelha se ergue alguma idéia, opinião sobre algo, ou alguém está passando por sua mente.
Companheira na faculdade de jornalismo (também por opção haha ) e ateísta procura entender a intensa dualidade humana.
Conheça mais sobre Thayse : http://origem-thaza.blogspot.com/
Keli Wolinger

Reside aqui a essência


Amanhã é dia de conhecer a Origem,o início,
os primórdios de nossa essência a convidada especial é...
Thayse Gioppo a Thaza* :D



Não me peça explicações, me abrace;
Não seque minhas lágrimas, deixe-as nascer em meus olhos
e rolarem pelo meu rosto.
Não me beije, conforte-me nos seus braços
no meu pecado de te amar.
Não diga que me ama, apenas permaneça ao meu lado.

Keli Wolinger

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Faxina mental



Oba mais um!! Obrigada Brunno pelo selo :D continuando....
As regras são as mesmas indique um blog, envie o selo e confira a postagem :D
E o selo vai para:

Precisamos nos livrar da ilusão de que fazemos o nosso melhor
para agradar os outros, e acabamos por nos magoar infimamente
quando essas pessoas apontam nossas falhas.
Devemos perceber que nossas melhores escolhas são aquelas que
nos magoam, mas fazem outros felizes.
Que as oportunidades estão naquilo que não acreditamos, ainda
não fizemos, não sabemos e na vida que não vivemos.
Devemos procurar ser autênticos , aceitar os próprios erros
e os defeitos dos outros.
Aprendemos que melancolia é um estado periódico , passageiro, mas natural.
Precisamos aprender que chorar é lavar a alma,
até mesmo ela precisa ser lavada.
Vamos criar pontes ao invés de muros.
Toda mudança começa por nós mesmos.
Acreditem... Vale a Pena!
Keli Wolinger

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A morte do Amor

-Teus olhos já não têm mais o brilho que tinham. -ela disse.






-Olhe para mim e me diga uma coisa agora.
Ele ergueu o rosto e olhou por cima das lentes retangulares dos óculos sem armação,
não a olhou nos olhos,
mas através dela.

-Olhe para mim.
Ele não ousava,
a conhecia muito bem e sabia que mesmo ele, não seria capaz de esconder fosse o que fosse da amiga.
Olhá-la nos olhos, seria dar-se por derrotado.
Ela manteve a postura, não foi preciso repetir o pedido.
Ele a encarou.
Ela perguntou.

-Você ama essa garota?!
A chuva pareceu aumentar ao som das palavras e a pequena marquise sob a qual se encontravam começou a encolher,
ele pegou o ar para responder de imediato.
Mas pensou,
nunca antes pensara para responder essa pergunta.
Amava.
É claro que a amava.
Se não fosse isso,
Por que teria enfrentado tanto por ela,
enfrentado o Ex psicopata.
Por que teria ficado dias ao lado dela no hospital enquanto passava pela cirurgia?
Por que teria assumido tantas responsabilidades?
Responsabilidades que nem eram dele.
Claro que a amava.
Amava?
Será que ainda amava?
Respirou.
Não respondeu. Encarou os pés.
A amiga baixou os ombros em gesto que mesclava a satisfação por estar certa -como sempre- e a tristeza, por vez que só agora o amigo se dava conta o quando seu corpo estava fundo na areia movediça.

-Eu pergunto isso porque eu te amo. Você sabe disso, e eu não quero ver você sofrer. Sei que você foi feliz com essa garota, mas agora já é outro nível, você não pode se arriscar a andar por aí e levar um tiro daquele psicopata. Eu gostaria que fosse possível você realizar seus desejos, mas não quero acordar uma madrugada e ter que ir reconhecer o corpo do meu amigo!
Ele balançava a cabeça.
Aos poucos as peças do quebra cabeça foram se juntando.
O tanto que passara até o momento. O quanto ficara obscuro com aquilo tudo.
Há meses já não era o mesmo.
Há meses trazia consigo um peso enorme sobre os ombros.
Fardo que não era seu.

-Como isso pôde acontecer?
Ela estranhou. Não eram as palavras que esperava, mas compreendeu.
Não respondeu.

-Como posso não conseguir dizer que amo a mulher que esperava um filho meu? Que esperava minha garotinha de olhos verdes e cabelo encaracolado?
Mais uma vez, a comunicação se deu sem palavras.
Ele sabia disso também.
Sabia, mas se recusava a acreditar.
Recusava-se a acreditar que aquela criança poderia não ser...

-Todos têm seus limites meu amigo.
-Sim.
Ele olhou para o chão e cerrou os punhos.
Seu peito doía, deu um passo para trás, pisou no asfalto da avenida sob a chuva e ficou a receber a água dos céus.
Dia de chuva o trafego aumenta nas ruas.
Deu mais um passo para trás, em direção ao meio da rua.

-Sim! Temos nossos limites.

Ela se precipitou, quis dar um passo na direção da rua mais algo a segurava no chão. Não saiu do lugar, quis gritar, mas a voz não saiu. Mais uma vez ela o viu dar um passo para trás, atravessava a avenida sem olhar para onde ia.

-O que você vai fazer?! -perguntou.
Ele parou de caminhar. Estava bem no centro a rua,
O semáforo na esquina abrira e os carros e ônibus que apanham os alunos na faculdade vinham em sua direção.

-O que vou fazer?
Gritava para que ela o escutasse entre buzinas e água batendo no chão.

-Vou fazer o que já deveria ter feito há muito tempo.
O barulho dos freios misturaram-se ao som das buzinas.

-Vou terminar com esse amor.

Diogo S.Campos

Quem é Diogo Campos?

Diogo Campos, na verdade meu fiel escudeiro "Dioguito"

metódico, sistemático, perfeccionista e racional ao extremo.

Um grande amigo, parceiro de balada :D e aventureiro nessa grande jornada que se chama vida.

Odeia deixar assuntos inacabados, mentiras e injustiças.

Ao longo dos seus vinte anos é acâdemico de jornalismo (por opção hehehe) trabalha muito bem com imagens e está solto no mundo à procura da felicidade.

Conheça mais sobre o Diogo Campos acesse:http://diogoninguem.blogspot.com

Keli Wolinger


quinta-feira, 29 de outubro de 2009

NINGUÉM

"Havia um trabalho importante a ser feito e todo mundo tinha certeza de que alguém o faria.
qualquer um poderia tê-lo feito, mas NINGUÉM o fez. "
Amanhã o convidado especial do blog é "Ninguém" menos que Diogo Campos aguardem...

Para descontrair uma bela música na voz de Ana Cañas.

EsconderijoAna Cañas

Procuro a Solidão
Como o ar procura o chão
Como a chuva só desmancha
pensamento sem razão
Procuro esconderijo
encontro um novo abrigo
como a arte do seu jeito e tudo faz sentido
calma pra contar nos dedos
beijo pra ficar aqui
teto para desabar
você para construir

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Just litlle patience

“O tempo não para e a gente ainda passa correndo” (Cazuza)




Acordei assustada. Um sonho terrível me despertou,
eu estava sendo seguida por uma relógio gigante.

As batidas do coração descompassadas me fizeram refletir
minha vida está passado depressa demais.

Eu vivo em perseguição atrás do tempo e
ele sempre segue na direção contrária.

Eu sigo um cronômetro diário tenho exato tempo para chegar ao trabalho, para almoçar, faculdade etc... e para ser feliz quanto "tempo” temos?

Já paramos para analisar que a cada minuto que nos magoamos, ou magoamos alguém
é um minuto a menos de nossas vidas que não podemos recuperar.

Que a cada instante de felicidade constituem momentos
dos quais serão lembrados por anos.

Perdoar não é fácil, porém não é impossível se permita “dar um tempo”,
mas não espere muito tempo para pedir, ou aceitar as explicações
porque talvez quando elas chegarem pode ser tarde demais.


“Com o tempo se aprende que paciência requer muita prática” e
que para cada minuto de intolerância seguem horas de resignação.

Viver é se permitir!

Keli Wolinger

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Carpe Diem



Aproveite seu bem mais precioso o tempo.
Sorria sem motivos, abrace demasiadamente.
Caminhe descalços, observe o mar beijar a areia.
Busque a lua - encontre as estrelas.
Seja você sempre, mas nunca o mesmo eternamente.
Morra de amor - enterre a dor.
Diga eu te amo, para seus pais, seus amigos e para
aquela pessoa que faz a sua vida especial.
Reúna os amigos - exorcize os demônios.
Simplesmente aproveite essa maravilha que se chama presente, 
mesmo que você precise ser sábio como sempre e perverso como nunca.
Keli Wolinger

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Vento


Uma tempestade se aproximava e o forte vento fazia os galhos das árvores balançarem.

- Ele vai fazer muita falta – disse Peter colocando o braço em volta do ombro de Carol.

- Vai fazer mesmo. – ela respondeu deixando uma lágrima escorrer enquanto olhava o caixão descer lentamente.

- Venha, vamos embora.

Carol com os olhos vermelhos e cansados parecia retrucar o amigo. - Venha eu te dou uma carona até em casa.

Os dois se despendem dos demais e andam até o carro. Carol olhava pela janela do carro as primeiras gotas que começavam a cair sobre o pára-brisa.

- Ele adorava a chuva – falou Carol baixinho sentindo um aperto no coração.

O carro pára em frente da casa. A chuva estava mais forte.

- Você vai ficar bem?

- Sim, acho que vou – Carol respondeu parecendo estar mais calma.

- Se quiser eu posso...

- Não, tudo bem. Eu ligo se precisar de algo. – ela diz dando-lhe um suave beijo no rosto.

Carol corre até a porta. O carro ainda fica parado e só sai quando ela entra em casa.

Um silêncio estranho toma conta do lugar, ela tranca a porta e sente algo se enroscar entre suas pernas.

- Oi Miguel, como você passou o dia? Desculpe ter deixado você sozinho – ela diz pegando o gato no colo e acariciando seu dorso.

Carol sobe a escada e entra no quarto, pela janela via a chuva ficar mais forte. Ela entra no banheiro e abre a água quente da banheira. De repente leva um susto com o barulho do telefone, ela enrola uma toalha no corpo e desce a escada.

- Alô!

Do outro lado a linha parecia estar muda.

- Alô? – ela fala mais uma vez na esperança de obter uma resposta. Que brincadeira sem graça – ela diz colocando o fone no gancho.

O banheiro já estava cheio da fumaça. Carol se deita na banheira e fecha os olhos tentando se esquecer das últimas horas.

Minutos depois ela ouve o som de algo cair no chão. A porta do banheiro estava entreaberta e Carol move sua cabeça para ver se via seu gato.

-Miguel? – ela o chama com a voz presa.

Assim que volta para o quarto ela vê o abajur de vidro quebrado próximo à cama.
Mas que droga! Como você foi fazer isso? – ela diz com lamento recolocando o abajur na mesinha-de-cabeceira.

Pela manhã o sol brilhava forte. Carol com o corpo pesado pela noite mal dormida descia para preparar o café.

Ao voltar para quarto, Carol se senta na beira da cama, passando as mãos sobre o rosto ela tentava de todas as formas não lembrar, mas era difícil esquecer do momento que recebeu a notícia que seu amigo dos tempos de colégio havia se matado. Ela olha para o relógio e pegando o casaco de cima da cadeira decide dar uma volta.

Carol anda calmamente pela calçada, o vento forte jogava seus cabelos para todos os lados, com as mãos no bolso, ela seguia olhando para cada casa que passava do bairro.

- Oi Carol, como que você está minha filha? – perguntou dona Betina pela janela de sua casa ao ver a moça passar parecendo distraída.

- Oi dona Betina! Estou bem. – ela respondeu com um leve sorriso.

- Sinto muito pelo seu amigo. Bom, me desculpe, mas tenho que fechar a janela... esse vento está enchendo a minha casa de pó.

- Ah, sim.

- Venha qualquer dia desses aqui para conversarmos e tomarmos um chá.

- Pode deixar eu irei sim. – Carol respondeu enquanto via a janela se fechando.

A caminhada durou uma hora. Fazia tempo que ela não passeava pelo quarteirão do bairro, desde que começou a trabalhar e a namorar, coisa que há tempo também não fazia devido à decepção provocada pelo ex.

Assim que chega ela vai até a cozinha, coloca as sacolas de compras sobre a mesa. Como só voltaria para o trabalho na próxima semana ela acaba voltando para o quarto na esperança de conseguir dormir um pouco.

Ao passar pela porta, Carol é surpreendida por um barulho vindo da cozinha. Rapidamente ela desce e encontra as sacolas caídas e a janela aberta. Lá fora o vento balançava furiosamente os galhos das árvores.

- Eu sei, é você.


Fernando Moraes

Quem é Fernando Moraes?

Para todos Fernando, mas para mim apenas Tadeu (ele odeia que eu o chame pelo segundo nome, porém como sempre sou diferente prefiro assim ô/).
Então ele é um "Maluco Beleza", que curte rock, escreve poesias, adora ler é amigo da natureza, odeia injustiças e hipocresia, sonhador e um grande amigo.
Brincadeiras à parte ele é acadêmico de jornalismo, já escreveu diversos contos dos quais aguarda para lançá-los em um livro.
Uhu!

* A biografia do autor é por minha conta rss =P.

Keli Wolinger


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Reflexão



"Crie filhos em vez de herdeiros."
"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete.”
Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."
"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."
"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."
"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"
"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos. "
"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."
"...e quem sabe assim você seja promovido a
melhor(amigo/pai/mãe/filho/filha/namorada/namorado/marido/esposa/irmão/irmã...etc.) !"
" Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos. "
Autor :Campanha publicitária do Citibank
PS: O Blog Anacrônica a partir de amanhã trará novidades. Textos de autores especiais :D ,meus queridos amigos. Amanhã um conto de Fernando Moraes aguardem...
Keli Wolinger

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Meia década...

“No Amor não escolhemos somos escolhidos” (Mr. Pi)

Que o tempo passe...
e o vento traga a certeza de que nada foi em vão.

Quando sentirmos que não existem mais forças,
as lembranças de tudo o que vivemos nos fará seguir adiante.

Que o medo não nos torne menos sonhadores.

Que as diferenças não se sobressaiam entre as semelhanças.

Que as lágrimas derramadas sejam de felicidade.

Que o abraço conforte e o beijo sele
o que a razão desconhece e o coração chama de amor.

Obrigada! Hoje é um dia especial para comemorarmos segundo Rafinha Bastos, nossa “Boda de Nitrato de Prata” meia década compartilhando nossas vidas.

Keli Wolinger

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Momentos


Tem momentos na vida em que nos calamos diante de um sentimento...
Pois palavras não o definem, somente o silêncio o conseguem traduzir.
Mentir querendo ser sincero, amar demasiadamente o que se desconhece, sofrer por querer voltar e não conseguir.
Ir para onde, se nem mesmo se consegue sair do lugar.
Na garganta um grito preso, no coração um amor incontrolável....
Não se pode dizer que esquece algo que nunca aconteceu.
Apenas limita-se a deixa-lo no pensamento.
Keli Wolinger

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Crônica do Amor


Hoje é dia de Arnaldo Jabor....

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam.
Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha.

Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco.

Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?Ah, o amor, essa raposa.
Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.Não funciona assim.Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos