sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A morte do Amor

-Teus olhos já não têm mais o brilho que tinham. -ela disse.






-Olhe para mim e me diga uma coisa agora.

Ele ergueu o rosto e olhou por cima das lentes retangulares dos óculos sem armação,
não a olhou nos olhos,
mas através dela.

-Olhe para mim.

Ele não ousava,
a conhecia muito bem e sabia que mesmo ele, não seria capaz de esconder fosse o que fosse da amiga.
Olhá-la nos olhos, seria dar-se por derrotado.
Ela manteve a postura, não foi preciso repetir o pedido.
Ele a encarou.
Ela perguntou.

-Você ama essa garota?!

A chuva pareceu aumentar ao som das palavras e a pequena marquise sob a qual se encontravam começou a encolher,
ele pegou o ar para responder de imediato.
Mas pensou,
nunca antes pensara para responder essa pergunta.
Amava.
É claro que a amava.
Se não fosse isso,
Por que teria enfrentado tanto por ela,
enfrentado o Ex psicopata.
Por que teria ficado dias ao lado dela no hospital enquanto passava pela cirurgia?
Por que teria assumido tantas responsabilidades?
Responsabilidades que nem eram dele.
Claro que a amava.
Amava?
Será que ainda amava?
Respirou.
Não respondeu. Encarou os pés.
A amiga baixou os ombros em gesto que mesclava a satisfação por estar certa -como sempre- e a tristeza, por vez que só agora o amigo se dava conta o quando seu corpo estava fundo na areia movediça.

-Eu pergunto isso por que eu te amo. Você sabe disso, e eu não quero ver você sofrer. Sei que você foi feliz com essa garota, mas agora já é outro nível, você não pode se arriscar a andar por aí e levar um tiro daquele psicopata. Eu gostaria que fosse possível você realizar seus desejos, mas não quero acordar uma madrugada e ter que ir reconhecer o corpo do meu amigo!

Ele balançava a cabeça.
Aos poucos as peças do quebra cabeça foram se juntando.
O tanto que passara até o momento. O quanto ficara obscuro com aquilo tudo.
Há meses já não era o mesmo.
Há meses trazia consigo um peso enorme sobre os ombros.
Fardo que não era seu.

-Como isso pôde acontecer?

Ela estranhou. Não eram as palavras que esperava, mas compreendeu.
Não respondeu.

-Como posso não conseguir dizer que amo a mulher que esperava um filho meu? Que esperava minha garotinha de olhos verdes e cabelo encaracolado?

Mais uma vez, a comunicação se deu sem palavras.
Ele sabia disso também.
Sabia, mas se recusava a acreditar.
Recusava-se a acreditar que aquela criança poderia não ser...

-Todos têm seus limites meu amigo.
-Sim.

Ele olhou para o chão e cerrou os punhos.
Seu peito doía, deu um passo para trás, pisou no asfalto da avenida sob a chuva e ficou a receber a água dos céus.
Dia de chuva o trafego aumenta nas ruas.
Deu mais um passo para trás, em direção ao meio da rua.

-Sim! Temos nossos limites.

Ela se precipitou, quis dar um passo na direção da rua mais algo a segurava no chão. Não saiu do lugar, quis gritar, mas a voz não saiu. Mais uma vez ela o viu dar um passo para trás, atravessava a avenida sem olhar para onde ia.

-O que você vai fazer?! -perguntou.

Ele parou de caminhar. Estava bem no centro a rua,
O semáforo na esquina abrira e os carros e ônibus que apanham os alunos na faculdade vinham em sua direção.

-O que vou fazer?

Gritava para que ela o escutasse entre buzinas e água batendo no chão.

-Vou fazer o que já deveria ter feito há muito tempo.

O barulho dos freios misturaram-se ao som das buzinas.

-Vou terminar com esse amor.


Diogo S.Campos


Quem é Diogo Campos?


Diogo Campos, na verdade meu fiel escudeiro "Dioguito"


metódico, sistemático, perfeccionista e racional ao extremo.


Um grande amigo, parceiro de balada :D e aventureiro nessa grande jornada que se chama vida.


Odeia deixar assuntos inacabados, mentiras e injustiças.


Ao longo dos seus vinte anos é acâdemico de jornalismo (por opção hehehe) trabalha muito bem com imagens e está solto no mundo a procura da felicidade.


Conheça mais sobre o Diogo Campos acesse:http://diogoninguem.blogspot.com


Keli Wolinger



3 comentários:

  1. Não sei o por quê, mas não estão aparecendo as atualizações do Tô Ligado! no blog de vocês. Vou tentar resolver o mais rápido possível... Estou atualizando o blog com frequencia!!!

    Te indiquei lá no Tô Ligado! Passe lá depois pra pegar seu selo!!!

    Brunno

    ResponderExcluir
  2. que forte esse texto!!! muito legal, muito bom. :)

    ResponderExcluir
  3. A Marilia disse tudo, um texto muito forte. Adorei. Superou as expectativas.
    Diogo sempre escrevendo muito, no início até associei a alguma história de Jake, mas no fim percebi que era outro extremo.
    To adorando a tua ideia Keli, parabéns!
    Semana que vem tem EU!
    Uhuul

    bjão

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos