sábado, 12 de março de 2011

A nova namorada do meu melhor amigo


Queridos leitores como vocês já bem sabe, my brother de coração  Diogo Campos e eu, nos aventuramos a escrever alguns textos. E a leitura a seguir faz parte de um olhar feminino brincadeiras a parte,  sobre uma série de textos que ele começou a postar no seu espaço da blogosfera. Bem espero que curtam a parceria e bom final de semana para todos."Buenas e me espalho".
Para entender as histórias: Minha Nova Namorada: Parte II



O vento sacudia furiosamente os galhos das árvores fazendo os toldos do bar assoviar em tom assustador a antiga canção do tempo. Alheios a isso os dois velhos amigos, brindavam suas derrotas interior com uma cerveja barata e batatas fritas.
- O que precisamente você quis dizer ontem quando falou “só tu mesmo”? Inquiriu ele dando um gole demorado na cerveja pela metade do copo.
- Hum ... resmungou ela, enquanto arqueava a sobrancelha esquerda.
- Seus comentários bestiais, somente você com essa sua mania de perfeição sutil, para fantasiar pensamentos tão mesquinhos.
Ele a observou com um sorriso sarcástico nos lábios – continue, por favor.
- Você a chama de infantil, pelo passado digamos “sórdido” e as atitudes que tanto te irritam, porém você já percebeu quem, realmente se importa com tudo isso? O que quero dizer é quando se conheceram tudo parecia improvável. Tudo rápido e intenso demais como ambos são. Os olhos castanhos frios da menina de petrificam e a mente dela é um enigma para você e isso te faz querer se envolver cada vez mais.
A amiga fixou os olhos nele de forma que suas palavras formaram a típica ruga na testa do jovem quando ele costumava pensar - pode ser.
- Te conheço o suficiente para saber que quando ela te disse eu te amo no primeiro encontro, foi o fato de você realmente se importar e também sentir a mesma coisa que te assustou. Fatídico, não irônico, pois o cara que detém todo o controle da situação não estava no comando. É isso que te faz querer ter essa garota. O fato de que ela pode ficar no controle absoluto o faz querer mantê-la longe. Você se gaba dizendo que jamais a levaria a sério uma garota tão autossuficiente e autoritária, mas já percebeu que é exatamente este o tipo de garota que mais te atrai?
- Anyway garota... não comece com está conversa de que eu tenho medo dela porque.....
- Hei! Não disse que tem medo dela, o que ocorre é que você tem pânico de você mesmo do que pode ser tornar ao lado dela. O sexo entre vocês é maravilhoso, mas é o fato de ela odiar Metallica, e dizer que é uma porcaria é que te faz querer dominá-la. Te consome a ideia de poder  mudá-la, a remodelar da sua maneira na triste e patética tentativa do discurso de homem perfeito e sistemático.
Ele sorriu enquanto balançava a cabeça negativamente e enfiava mais uma batata rapidamente na boca. Ela encheu os copos quase vazios de cerveja tomou até quase esvaziá-lo e continuou o discurso.
- Não finja que não se importa quando na verdade está totalmente entregue. Lembra – se do primeiro encontro? Você agindo como um adolescente se preparando para o baile da escola, lavou o carro, cortou os cabelos fez a barba e pasme colocou seu melhor jeans. Irônico se não fosse trágico. E o que ocorreu? !Vocês dançaram beberam e ela acabou nos braços de outro. No fim da noite você a levou para casa, furioso, mas não deixaria esse gostinho de vitória para o outro cara. E quando ela quis beijá-lo você recuou. De que adiantou me diz? No outro dia estava na cama dela consumido, envolto no perfume dos cabelos claros dela sobre seu peito.
- Hahaha... está me dizendo que perco o controle para uma ninfeta? Que ela me domina sem eu perceber? Sempre soube que você não batia muito bem, mas não que havia ficado completamente louca. Ironizou ele enquanto fingia tomar do copo já vazio.
- Meu caro amigo a menina da qual falamos eu praticamente vi crescer. Talvez devido a isso tenha tanta estima por ela. Não somos tão velhos e ela não é uma garotinha, mimada eu diria, porém é uma mulher travestida de anjo com um poder devastador do qual você esta provando as consequências.  Você diz que não a ama, depois se contradiz, entretanto, quem deu o primeiro passo?  Foi você. Quando a presenteou com algo que ela adorou. Quando admitiu também amá-la após a primeira transa e agora por estar desnorteado ao admitir que estão namorando. Não se faça de durão cobrando dela por beijar o outro cara, quando você faz o mesmo dormindo com outras garotas procurando por aquele rosto e a maneira que ela te enlouquece.
Ele abaixou a cabeça e encarou a mesa puída de madeira enquanto tamborilava os dedos no copo e exasperou longamente.
- Ok. Você falou, porém não me disse ao certo o que sua frase significa. Garota eu realmente não entendi.
- Não se faça de sonso. Quando entro em seu apartamento e me deparo com ela de pijamas de motivos infantis, by Lolita, flutuando pela sua sala ainda de cabelos desengrenhados me recebendo com um “oi que bom vê-la”. Tive a certeza que você realmente não vai negar o que sente. O pior me diz que ela está na roupa mais broxante do mundo, quando seus olhos e pensamentos falam o contrário. Por favor, já te disse não pense tão alto quando eu estiver por perto. E sim, você é o canalha da história, não estou sendo feminista apenas dizendo a verdade.
Os dois amigos sorriram dos acontecimentos discutidos.
 -Então é o que me diz. É o que temos para hoje, pois bem eu não concordo.
- Sabia que você me diria isso, e me antecipo ao falar não seja covarde e faça o que está morrendo de vontade tenha atitude e tome você o controle da situação. Já estou cansada de ajuda-lo a apagar as marcas deixadas pelas mulheres que você tenta evitar.
Ela levantou-se fez um último brinde e esvaziou o copo. Deu de ombros e acenou já de costas para o amigo com um sorriso nos lábios. Ele cruzou os braços atrás da cabeça sobre a nuca e riu internamente. Detestava admitir, mas ela tinha razão. Fez então o que lhe restava, tirou o telefone do bolso e sua memória visual lhe fez digitar os números que sabia só de olhar no teclado. Aguardou ansiosamente o terceiro toque.
Keli Wolinger

6 comentários:

  1. Meu Deus... minha cabeça deu um nó! Seria este uma versao moderna de Eduardo e Monica??

    ResponderExcluir
  2. A paixão parece tão ameaçadora, não? Algo em sua narração me faz pensar que este rapaz não é completamente idiota, e que se não entregou o ouro até agora, era porque estava avaliando o peso da barra que é sentir, que é amar, e sobretudo, se ele teria forças para lidar com as consequências do que nem ele mesmo pode controlar.


    Te abraço com saudade.

    ResponderExcluir
  3. Um texto no minimo insinuante, provocativo q leva apensar no amor, nas propostas de cada momento, vc de lagum modo deixa transparecer um conto de maor, instigante, leva apensar e pensar é ótimo, pra vc bjos, bjos e bjosssss

    ResponderExcluir
  4. Brunno,

    E suas teorias catatônicas.... heheh

    Isso é apenas " uma história de mentira baseada na verdade".

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Pipa,

    Nesta caso a paixão é o maior medo de ser feliz. O receio de se entregar e posteriormente sofrer, nada que o sábio protagonista não saiba controlar.

    Obrigada pelo carinho.

    Bjos de luz

    ResponderExcluir
  6. Agradecida Wenderlen.
    Realmente é um texto para refletir, será que estamos preparados para as surpresas que a vida quer nos oferecer?

    Grande abraço

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos