quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Férias de Mim


“Mas há uma verdade única: ninguém tem dúvida sobre si mesmo.” - Martha Medeiros



Sou infiel no que se diz respeito ao que as outras pessoas pensam sobre mim. Porque como já disse um grande sábio “o que os outros pensam, é problema deles”. Não sei quem inventou essa conversa de que precisamos ser a gente mesmo toda hora, todo dia e todo tempo, isso é bobagem.
 Ser você mesmo às vezes irrita até a si próprio. O que de fato importa é ser o que você lembra, o que te faz queimar dentro do peito, o abraço apertado, o sorriso sincero, o amor e tudo mais que possa te causar de sobrevoos a calafrios. 
Aquilo que não te provoca qualquer emoção não pode ser subjugado como existência. Você é o amor em estado bruto, sem a adição de um mais um, igual a dois, isso é cálculo matemático exatidão.
Um associativismo de duas pessoas e o amor é o contrário disso inexato, palpável, alargado e muitas vezes exagerado. Você não vem com manual de instrução, pois é eu também não. Alguma vez eu tive alguma inscrição como: vide à bula ou eu, modo de usar?
Sou acometida da síndrome das “mulheres que amam de menos”, menos tristeza, dor e egoísmo. Perdoe-me estávamos falando de falta de amor e eu aqui com essa conversa de que me amo demais, não que eu seja mesquinha é que chamo isso de auto preservação.
Tenho consciência que algo dentro de mim fala, grita e a verdade me salta aos olhos. Algumas verdades a gente conta, mas outras se tornam nossos segredos mais íntimos.

Keli Wolinger

PS: Em homenagem ao níver da minha menina Camila! Prima que amo, te desejo muito sucesso, felicidade, paz no coração e amor. Que seus dias sejam repletos de sonhos e conquistas grande beijo.

6 comentários:

  1. Eu concordo contigo, tem tantos cristaums q naum conseguiram entender o q Jesus quis dzer com "amar ao proximo COMO A TI MSM!" Ora, quem naum ama a si msm, naum tem como amar ao proximo, tah mais claro q agua isso. E sim, tbm eh questaum de auto preservacaum e naum vale soh pra vida afetiva naum. Vale pra amizades tbm. Houve um tempo em q me entregava totalmente a amizades, sejam reais ou virtuais e qndo me dei conta, soh eu oferecia algo de mim, qndo eu precisava, eu tava sozinho, ai dpois as pessoas retornavam, qndo precisavam de mim... ai eu cansei. Alias, o post do meu blog de hj fala sobre isso. Tudo cansa. Ateh o amor...

    ResponderExcluir
  2. Isso é algo que eu nunca pensei Keli e, é realmente verdade: como sermos nós mesmos, quando nem nós aguentamos o próprio "ego". Sem contar que não teria graça, é bom mudar e experimentar novos caminhos e meios!

    Como sempre, é uma delíci te ler!!

    ps: havia esquecido de lhe contar que eu já li "Enquanto a cidade dorme", isto apenas mostra o quão excelente tu és. Espero imensamente, logo, ir numa livraria comprar um livro de sua autoria. Vivo pra chegar neste dia :)

    ResponderExcluir
  3. Acho que todos nos somos infieis as expectativas dos outros.

    Bjus Kelii

    ResponderExcluir
  4. Lukas,

    Esse questão de preservação é um escudo. Devemos usá-la em todas as situações, desde os sentimentos que nutrimos em relação aos outros e a nós mesmo.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  5. Alan^^

    Já disse Verissímo:" Conhece a ti mesmo,mas não fique intímo"... heheh um sábio conselho porque a falta de amor próprio empobrece a alma, já o excesso isola o coração.

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Pois é Brunno,

    Como exigimos que todos sejam fiéis aos nossos sentimentos se nossa intenção não é recíproca ?!

    Bjocas

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos