quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Preciso continuar o [In]acabado

Só saberei o caminho quando atravessar esse corredor de ausências. Apetece-me saber que minha procura acaba na esquina da escolha. Do melhor amor, o por si próprio. Atrai-me experimentar o inacabado, incompleto, o rascunho, aquilo que acontece comigo quando recebo a dor que não me pertence. Gosto de olhar para o acúmulo de muitos mundos que habitam em mim. Não me importo. Verbalizo. Seco sonhos. Mudo o ritmo. Segrego amores, escondo os gritos no silêncio e pluralizo segredos. Quando vejo já estou invadida, submersa em frases sem pontos finais na reticência de passados presentes. Preciso de vírgulas. Um dia sou multidão, no outro solidão. Ignoro o fato de que existo quando não sou, de quando só encontro singularidade porque me deixei conter. Vivo daquilo que ainda não veio, entretanto se abre os baús das memórias oníricas e toco rostos. Tardo para estar lá e compreender como ainda toco as peças desatentas do destino no escuro. Limito-me a ser assim, sem culpas.
Keli Wolinger

15 comentários:

  1. Vivo daquilo que ainda não veio, entretanto se abre os baús das memórias oníricas e toco rostos.

    Disse tudo Kelli.

    Beijao

    ResponderExcluir
  2. "Quando vejo já estou invadida, submersa em frases sem pontos finais na reticência de passados presentes. "

    Disse tudo MESMO!

    ResponderExcluir
  3. Muito bonito! Obrigado pela visita. Volto sempre.

    =)

    ResponderExcluir
  4. limito-me a ser assim, sem culpas...uma delicia de texto, mais uma vez vc brilhou, esteve iluminada, pra vc minha linda bjos, bjos e bjossssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Adoro o escrito da Priscila Rôde e aqui encontro um na mesma linha....essa coisa metaforizada, doce mesmo sendo forte. Te li com brilhos no olhos e sede nos lábios...encantada com teu jeitinho de se relacionar com as palavras...

    Tão importante esse se respeitar, aceitar-se tal como se és, se reconhecer e se amar... acham que não né, mas permanecer assim na vitrine é um ato de coragem.

    Tão bonito tudo aqui que já vou me avizinhar,qero voltar mais vezes.

    Um beijo

    Erikah

    ResponderExcluir
  6. Keli, que lindo.
    Me vi neste poema, passou um filme diante dos meus olhos sobre mim mesmo, emocionante!

    bjs filósofa =)

    ResponderExcluir
  7. Brunno,

    É na lembrança que reside a essência de viver.

    Bjos,

    Keli

    ResponderExcluir
  8. Priscila,

    Ainda procuro entender como é viver sem pausas, sem foolêgo e ainda assim reistir a tudo.

    Bjos, Keli

    ResponderExcluir
  9. Obrigada Leandro!

    Te espero então.

    Abraços, Keli

    ResponderExcluir
  10. Wenderlen,

    Grata pelas energias posivitas que você emana.
    Bjs e bjs pra ti também,

    Keli

    ResponderExcluir
  11. Vou pensar no seu caso Marcelo .... ahhaah

    Bjo grande nesse coração,

    Keli

    ResponderExcluir
  12. Seja bem vinda Erika!

    Que o sol venha com você e ilumine os corredores do pensamento.
    Obrigada!

    Volte quando quiser será sempre bem recebida :D

    Bjos, Keli

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Alan^^

    Ótimo rever você por este espaço. Não some sua alegria faz falta :D

    Adoro-te bjos,

    Keli

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos