quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Cicatrizes da Alma

Existem situações tão improváveis na vida que nós perguntamos se isso realmente está nos acontecendo. Pode parecer estranho, mas há um tempo (cerca de três meses) uma pessoa que eu ao menos conhecia junto com alguém que amo muito conseguiu me magoar profundamente.
De maneira literal. Perdi o chão, o rumo não sabia como me reerguer.
As lágrimas eram constantes e as emoções claustrofóbicas, de certo modo “se eu pudesse guardava tudo numa garrafa e bebia de uma vez” era a forma mais fácil de diminuir a dor da ferida que se abriu.

Mas, a fuga não resolveria a verdade nua e crua doía. Resisti de pé engoli o grito, sequei as lágrimas e me prometi que não as derramaria novamente por alguém que não merecessem elas.
O tempo foi criando cascas sobre essa ferida, mas suas cicatrizes ainda permanecem só que hoje posso falar delas sem chorar.
A pessoa que era desconhecida anteriormente se tornou parte de mim, meu outro eu, porque quando me senti sem chão percebi que esta outra pessoa já havia o perdido há muito tempo, pois sobrevivia da ilusão enquanto eu sofria com a verdade. Busquei aproximação com ela á minha maneira claro, impulsiva e extremista (sinto sou assim), mas descobri que ela era uma pessoa muito especial na sua forma de ser. Procurei respostas para o porquê ela havia me magoado encontrei apenas interrogações.

De sua forma simples e ingênua ela me mostrou que eu posso ser muito mais forte do que eu imaginava e que aprendi com ela o sentindo de perdão.
Hoje desejo a ela que encontre suas respostas na sua luta interior e no tempo que é o melhor conselheiro, que os seus medos não sejam maiores que a sua capacidade de superação.
A dor que hoje nos derruba é a queda necessária para que do chão possamos ver a luz que estavam longe do alcance dos nossos olhos.

Keli Wolinger

2 comentários:

  1. "A dor que hoje nos derruba é a queda necessária para que do chão possamos ver a luz que estava longe do alcance dos nossos olhos."


    [sem comentários]

    Diogo S.Campos

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvidas, a frase destacada pelo Diogo chega a arrepiar.
    Parabéns

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos