quinta-feira, 29 de abril de 2010

Quando existe perda



Vá! E, por favor, não volte.

Não trilhe o caminho que seus pés deixaram, porque a chuva apagará seus passos.

Só sou bem resolvida quando estou sem você, ambos sabemos disso precisamos da falta para entender o inteiro.

Vivemos a sombra de nossos erros, contemplamos a beleza de nossas imperfeições somos um, mas precisamos da falta de nós mesmos.

Somos como ponte e rio nos completamos, porém um de nós pára seu curso em um lugar enquanto o outro flui.

As árvores perdem suas folhas no outono, nem por isso deixam de florescer na primavera.

Deixemo-nos ir então.

Não há amor sem perdas e somente a perda nos faz encontrar o amor.

Keli Wolinger

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Desenho

Tem dias em que me sinto assim...

As palavras de King traduzem a ausência que sentimos muitas vezes.

Bom início de semana a todos.

"Como fazer um desenho
Comece com uma superfície em branco(...) acredito que deva ser branca. Chamamos de branco porque precisamos de uma palavra, porém o verdadeiro nome é nada. O preto é a ausência de luz, já o branco é a ausência de memória, a cor da não lembrança. Como nos lembrar de lembrar? Eis uma pergunta que venho fazendo a mim mesmo (...) geralmente nas primeiras horas da madrugada, com os olhos erguidos voltados para a ausência de luz, recordando amigos ausentes. Nessas horas, as vezes, eu penso no horizonte. É preciso delimitá-lo. Marcar o branco. Um ato bastante simples você diria. No entanto, qualquer ato que recria o mundo é heróico. Ou pelo menos foi nisso que passei a acreditar(...)Desenhos são mágicos, como você bem sabe."
Stephen King – Livro Duma Key

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Fragmentos


Você está tão longe que eu não posso te tocar, mas posso te ver em meus pensamentos.

Esse livre-arbítrio que delimitamos para nós um amor feito de liberdade ter todos os dias outros caminhos a seguir, outras opções e mesmo assim sempre a livre escolha.

Você é essa paz que me atormenta, a luz sem sombra, o verso sem poesia e a companhia que me traz solidão.

Somos o escuro da noite, os erros de nossas decisões o princípio do fim.

Estamos em todos os lugares, passamos por todas as pessoas e ainda assim somos nós.

Mesmo que você me faça forte, ao mesmo tempo és aquela parte de mim que me faz infeliz.

Keli Wolinger

terça-feira, 13 de abril de 2010

TEMPO...

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

Fernando Pessoa



Compro tempo e pago bem.

Esse elemento ao qual eu procuro é algo escasso, intocável, não conheço quem o tenha de sobra para ao menos compartilhar de seus benefícios.

Todos precisam de tempo para pensar, para ficar sozinhos, para amar, para sofrer e simplesmente dar tempo ao tempo para que tudo se resolva.

Mas o que é o tempo?

É o “período” no qual conjugamos os verbos das nossas vidas? Nosso estado de espírito, como o dia amanheceu?

É o momento entre passado, presente e futuro?

É aquele instante inesquecível ao qual passamos ao lado de pessoas especiais? Minutos incansáveis de trânsito lento? Horas de estudo para prova? Descanso enquanto dormimos?

O que realmente é o tempo?

Geralmente ele é algo que está entre aquele lugar em que não estamos e aquilo que não temos.

O tempo é aquilo que nos deixa mais fortes e muitas vezes mais vulneráveis.

O remédio ideal que cura as feridas das derrotas temporárias, alimenta lembranças e fortalece sentimentos.

Mesmo assim me pergunto:” quanto tempo têm o tempo? Quanto tempo o tempo têm?”

As respostas para minhas perguntas só o tempo poderá dizer.

Keli Wolinger

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Algo me diz

Se não for para me fazer voar, não tire meus pés do chão.

Se não for para me guardar em seu coração me entregue as chaves, ou me liberte desta prisão.

Se não for para compartilharmos nosso tempo, então não me faça gastá-lo ele é um bem precioso.

Se for me fazer perder o juízo, que ao menos eu não tenha prejuízo.

Se não for capaz de entender o que sinto, não me questione.

Se me procurar sem a intenção de me amar então, por favor, me esqueça.

Por mais sombria que seja a noite ela é somente uma...

Keli Wolinger

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos