quinta-feira, 12 de novembro de 2009

O Granfino e a Caipira



Aquele dia realmente não era um dos melhores ela estava exausta.

No trabalho tudo parecia dar errado, esqueceu da prova que teria no colégio e havia brigado com a melhor amiga. Sem contar que tinha apenas dezesseis anos, mas suas responsabilidades pesavam como se tivesse 35.

Estava na cidade há pouco mais de três meses viera do interior para concluir o ensino médio e cursar a faculdade, muitas mudanças haviam ocorrido em sua vida nos últimos meses deixou de ser a garota badalada e intelectual da cidadezinha pequena para mais uma na grande metrópole. Os amigos mudaram, o colégio e claro precisou trabalhar, seu pai já não mais a sustentava.

Tudo que ela queria era apenas ir para casa, aquele dia infernal teria que acabar. Entregou a prova ao professor com as poucas questões que se lembrava respondida, se despediu dos colegas e aguardou pela saída de sua amiga a qual brigara anteriormente por motivos tolos.

- Me desculpe se te ofendi apenas não gosto que toque no nome dele ta ok? Dirigiu as palavras a amiga.

- Tudo bem. Eu sei que você ta estressada com tudo, mas um dia você terá que falar nisso por mais que te irrite – afirmou a outra com um leve sorriso nos lábios.

-Agora para descontrair vamos comer? Você está com uma cara horrível e comer faz bem – sorriu a colega lhe fazendo um convite.

- Não to a fim de comer, mas te acompanho respondeu franzindo o cenho.

Elas seguiram até uma barraquinha de cachorro – quente na saída do colégio a caminho de casa o silêncio pairava sua amiga lhe conhecia o suficiente para saber que ela não estava bem não a questionou.

Quando chegaram ao quiosque sentaram-se em uma mesa ampla com mais três lugares a colega foi até o balcão fazer o pedido ela permaneceu sentada apenas intuitivamente pensando - quero ir para minha casa logo, esse dia que não acaba.

Perdida em seus devaneios não percebeu que três garotos se aproximavam da mesa até um deles perguntar: - Tem alguém sentado aqui? Antes de qualquer resposta ele dispara - podemos sentar?

- Por quê você perguntou se já está sentado, ela responde.

Ele sorri ironicamente e rebate – Nervosa você hein? Eu não mordo ok? Deixa eu te apresentar meus amigos eu percebi que você está sozinha aqui com sua amiga.

Nisso a amiga se aproxima e diz: - nossa temos companhia olá garotos!

Ele então responde:- ela é mais simpática que você, pelo menos ela não range, e sorriu

A resposta não podia ser outra:- é que ela tem um dom especial para falar com idiotas; todos riram um dos garotos que estava quieto até então fala:

- Calma pessoal é só um comentário e meninas, por favor, desculpem as gracinhas do meu colega ele gosta de chamar a atenção.

A conversa entre eles começou a fluir, mas ela respondia apenas sim e não.

Ela sentia que algo estava errado, nunca uma energia daquela proporção havia tomado conta dela antes, não conseguia olhar para o garoto ao seu lado e não sabia o por que.

Ele não era tão falante quanto os outros, tampouco dizia asneiras ele era calado, observador, era aquele silêncio que a torturava.

Ele chegou mais próximo ela conseguia sentir sua respiração, o coração acelerou a voz dele era suave quando a questionou:

- Você não é daqui não é mesmo?

Ela ficou surpresa será que dava para notar que ela não pertencia aquele lugar, pelo menos não até o momento a resposta foi breve e ríspida:- não!

- É eu percebi, nunca havia te visto no colégio antes seu rosto não é comum e ...

Ela o interrompeu antes que ele pudesse concluir:- não!Eu realmente não sou daqui e muito menos uma dessas garotas que você está acostumado ok. Girou rapidamente em direção a amiga e disse:- vamos embora! Pega seu lanche e vai comendo no caminho se não quiser eu vou sozinha. Levantou-se quando ele segurou em suas mãos:

- Espera eu te acompanho.

Uma onda elétrica percorreu seu corpo, os joelhos estremeceram a voz não saia ela estava começando a entender.

Olhou fixamente em seus olhos, aqueles brilhantes e profundos olhos castanhos se sentiu nua diante daquele desconhecido e compreendeu “era ele...”

To be continued

Keli Wolinger

2 comentários:

  1. Oi, o blog NAUM ACREDITO, foi extinto ! auhsuahsuhs
    criei outro.... mas gostaria mto de continuar a parceria pelo meu outro blog, se vc puder tirar o naum acredito o colocar meu novo blog, eu com certeza lhe agradeceria, me desculpe pelo transtorno !
    aushuahs

    o endereço é : www.antenadopop.blogspot.com
    e desde já lhe agradeço !

    ResponderExcluir
  2. PS : doido pa le a continuação deste post *--* !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros Tempos